Home

Data Atual
Hora


Ago30

No Rio, Festival Multiplicidade projeta futuros possíveis para a arte multimídia

E-mail Imprimir PDF

Paulo Virgílio
Agência Brasil

No ano passado, quando completou dez anos, o Festival Multiplicidade partiu para um exercício de antevisão, situando a edição em um imaginário 2025, e não em 2015. Com essa antecipação de dez anos, os organizadores do evento pretendiam realçar a proposta do evento de projetar futuros possíveis para a arte no ambiente multimídia.

Na edição de 2016, aberta ontem (29) no Oi Futuro Flamengo, o Multiplicidade, criado com o objetivo de promover encontros que aproximam tecnologia e artes visuais, dá prosseguimento ao seu exercício da antevisão, no mesmo ano de 2025. A novidade é o formato de exposição, que ocupa todo o prédio do centro cultural com inquietações poéticas, investigações tecnológicas e linguagens híbridas sob a temática do erro.

Uma das inspirações do curador Batman Zavareze para a escolha do tema foi um fato ocorrido em uma das edições anteriores do próprio festival. Em 2009, o percussionista Naná Vasconcelos, falecido em março deste ano, apresentava seu espetáculo Blind Date (Encontro às cegas), quando um apagão elétrico paralisou seu show. Naná usou seus instrumentos tribais percussivos - chocalhos, tambores, berimbaus, voz e pés - para continuar a performance, mostrando que momentos inesperados criam novos significados e ampliam as compreensões sobre os poderes da arte.

“Ao destacar o erro não temos a intenção de valorizá-lo, tampouco criar estereótipos sobre as gambiarras que atendem as nossas urgências”, explica o curador Zavareze. “Errar é perseverar, rever e refazer. Em momentos de necessária reinvenção é fundamental seguir a simplicidade como a grande arte da complexidade. Hoje, menos é mais”, acentua.

Leia mais...
 
Ago29

Rock in Rio lança projeto em Manaus para plantar 1 milhão de árvores

E-mail Imprimir PDF

Bianca Paiva
Agência Brasil

O projeto socioambiental Amazônia Live, do Rock in Rio, foi lançado neste sábado (27) em Manaus. O Amazônia Live pretende plantar mais de 1 milhão de árvores em 400 hectares de área desmatada da floresta amazônica nas cabeceiras do Rio Xingu. As sementes serão adquiridas com indígenas da região, para ajudar a fomentar a economia local, além de promover reflorestamento.

A estimativa do Rock in Rio é gerar aproximadamente R$ 700 mil em renda para as famílias coletoras de sementes e 50 empregos diretos nas atividades de assistência, preparação do solo e plantio.

Compromisso

Quando anunciou o projeto, no dia 4 de abril, o presidente do Rock in Rio, Roberto Medina, disse que o número de árvores plantadas na Amazônia pode chegar a 3 milhões por meio do projeto. “Eu sinto que as pessoas não sabem como ajudar. E o Rock in Rio vai explicar como ajudar. A gente está assumindo o compromisso hoje de plantar 1 milhão de árvores, mas o Banco Mundial já anunciou outro milhão, nós temos alguns clientes e vamos chegar fácil aos 3 milhões de árvores plantadas em um investimento todo feito pela iniciativa privada”, disse Medina.

Além da importância socioambiental para a Amazônia, o diretor de eventos da Manauscult destaca os benefícios para a capital amazonense. “Acho que a importância desse projeto para Manaus é o desenvolvimento turístico, é o aquecimento da cadeia econômica da cidade, a gente está movimentando diversos setores. De alguma forma isso projeta a cidade internacionalmente e divulga diversas questões e belezas nossas tantos sociais como culturais. Acaba sendo uma forma de acesso do mundo à cidade de Manaus, ao Amazonas e à região amazônica”, disse Monzaho.

Leia mais...
 
Ago28

Jornada busca sensibilizar população para preservar patrimônio em São Paulo

E-mail Imprimir PDF

Elaine Patricia Cruz
Agência Brasil

Com o objetivo de sensibilizar as pessoas para a preservação e o reconhecimento do patrimônio histórico, artístico e cultural da cidade, São Paulo realiza neste fim de semana a segunda Jornada do Patrimônio. Por lei, o evento, é agora parte integrante do calendário municipal e ocorrerá anualmente sempre no terceiro fim de semana do mês de agosto.

Durante o evento, diversos casarões históricos da cidade, além de museus, parques e igrejas estarão abertos à visitação pública de forma especial – em alguns deles, haverá visitas monitoradas. Além disso, o Serviço Social do Comércio (Sesc) promove passeios pela cidade, tais como uma caminhada pelo centro histórico paulistano. Há também palestras e oficinas de cerâmica e de taipa de mão, entre outras.

“Esse evento tem o objetivo de valorizar o patrimônio. A sociedade paulistana não conhece o seu patrimônio e, portanto, não o valoriza. Entendemos que, quem não conhece, não valoriza. Esta é uma aula de história. São Paulo tem história, tem memória, e sua população não as conhece. Queremos que a população tenha orgulho da cidade”, disse a diretora do Departamento de Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura, Nádia Somekh, em entrevista à Agência Brasil.

Segundo Nádia, a cidade de São Paulo tem hoje 6 mil imóveis tombados. “Mas São Paulo é maior do que isso. Criamos agora um selo de valor cultural que permite que as populações, principalmente da periferia, e que tem laços afetivos, possam demandar esse selo. Temos que ir além do tombamento. Nem tudo precisa ser tombado, mas a memória afetiva precisa ser preservada. Recebemos vários pedidos da população sobre estados ou memórias afetivas e estamos atribuindo esse selo”, explicou Nádia.

Alguns dos locais que ganharam esse selo recentemente foram a Casa da Boia, na Rua Florencio de Abreu, uma antiga loja de ferragens que tem 118 anos de fundação, e as padarias 14 de Julho e Santa Tereza (foto), esta última, fundada em 1872.

Leia mais...
 
Ago26

Virada Sustentável começa em São Paulo com 800 atrações gratuitas

E-mail Imprimir PDF

Flávia Albuquerque
Agência Brasil

Começou na capital paulista a sexta edição da Virada Sustentável, que reúne cerca de 800 atrações gratuitas em diversos locais da cidade. O festival, que termina domingo (28), terá música, cinema, exposições, teatro, piquenique, biciletadas, e atividades lúdicas, todas baseadas nos temas como água, biodiversidade, consumo consciente, cidadania, mobilidade urbana, direito à cidade, mudanças climáticas e economia verde, entre outros. O evento terá ainda palestras, feiras de produtos veganos e orgânicos e oficinas.

“É uma grande campanha de educação com cara de festival cultural. As pessoas vão curtir as atividades e atrações e vão sair dali um pouquinho mais conscientes e informadas. As pessoas ainda entendem sustentabilidade apenas como cuidado com o meio ambiente, mas há, também, dentro dessa área temas como erradicação da pobreza, redução da desigualdade, direitos humanos e qualidade de vida”, disse o idealizador da Virada, André Palhano.

O festival começou em São Paulo e já foram feitos outros em Manaus, Valinhos e Porto Alegre, com a articulação e participação direta de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, coletivos de cultura, movimentos sociais, equipamentos culturais, empresas, escolas e universidades, com o objetivo de apresentar uma visão positiva e inspiradora sobre a sustentabilidade e seus diferentes temas para a população.

Neste ano, a organização é baseada nos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável do Milênio, definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU): erradicação da pobreza; fome zero; boa saúde e bem-estar; educação de qualidade; educação de qualidade; igualdade de gênero; água limpa e saneamento; energia acessível e limpa; emprego digno e crescimento econômico; indústria, inovação e infraestrutura; redução das desigualdades; cidades e comunidades sustentáveis; consumo e produção responsáveis; combate às alterações climáticas; vida debaixo d'água; vida sobre a terra; paz, justiça e instituições fortes; parcerias em prol das metas.

Entre os destaques de hoje (25) estão o É dos Bichos, com foco na luta pelos direitos animais, provocando o questionamento e a aproximação da causa por meio de ações artísticas, jogos cooperativos, oficinas e debates voltados para crianças e adultos, na Câmara Municipal; Meditações em Conexão com a Natureza, buscando uma conexão com a natureza interna e externa, por meio da meditação mesclando técnica e audiovisual, às 20h30 na Casa Jaya.

Leia mais...
 

Tempo